Projeto: Nasuverse – O mundo que ambienta Fate/Stay Night, Zero, Kara no Kyoukai e Melty Blood

21 01 2012

Crismson Moon

Olá pessoal! Hoje iremos iniciar, nosso projeto mais ambicioso, uma adaptação que provavelmente irá se prolongar por anos de vida vários posts. Ela será sobre o mundo misterioso que envolve as grandes franquias da empresa Type Moon, algumas delas, como Fate/Stay Night, Fate/Zero, Tsukihime, Melty Blood e Kara no Kyoukai, fazem (ou fizeram) grande sucesso no público apreciador da cultura pop japonesa terão espaço garantido nesta empreitada, extenderemos a cobertura a outros títulos assim que obtivermos conteúdo relevante.

Um universos com diversos tipos de personagem

Nasuverse

Nasuverse é o termo para definir o mundo que serve de ambientação para as obras principais da Type Moon, este nome foi atribuido como uma referência ao principal autor da empresa nipônica, Kinoko Nasu, que é a mente por de trás dos romances de Kara no Kyoukai, assim como os jogos de Tsukihime e Fate/Stay Night.

Ambientação

Começaremos falando da ambientação base, que envolvem vários conceitos do universo, e conforme o avanço sobre o conteúdo, nós iremos incluir assuntos mais específicos, como os tratados nos jogos e animes.

Vontades Superiores: Gaia, Araya e a Contra Força

O mundo, ou planeta, abriga inúmeros tipos de seres, que em sua maioria, possuem uma psique que os guia em suas vidas, do início ao fim de seus dias, mas eles não são os únicos, mesmo existências gigantescas como o próprio planeta possuem alma e intelecto. Ele possui duas “vontades” distintas, Gaia, a vontade do planeta, e Arayashiki, ou Araya, a vontade inconsciente e universal dos seres humanos para evitar a destruição, que forma a base da existência humana. Gaia e Araya possuem intenções distintas, podendo, eventualmente, ficar em posições conflitantes.
Gaia é a vontade operante derivada de Akasha, e incumbida de preservar a ordem eliminando paradoxos e outras ameaças à ordem. Como se fossem seus próprios sentidos, ela utiliza os espíritos, e qualquer coisa que interfira no caminho deles é considerada uma contradição. O principal objetivo de Gaia é a preservação da vida e beleza do planeta, mesmo que para isso, algum dia, tenha que exterminar a raça humana para acabar com a corrupção e retornar o planeta ao seu estado natural. O uso do termo “mundo”, por magos, implica mais em regras universais que podem ser manipuladas ou aproveitadas pela humanidade. Os humanos unidos formam um grande sistema, porém, Gaia não parece reconhecer neles mais do que apenas indivíduos.

Contra Força

O equilíbrio entre Gaia e Araya existe por intermédio da Contra Força, um sistema inconsciente de segurança que tem por objetivo manter e prolongar o estado atual do mundo. Ela age somente em situações em que os fatores ameaçam extremamente a integridade do mundo, porém, ao agir, irá entrar em batalha para aniquilar estes fatores. As manifestações da Contra Força podem ser desde redemoinhos amorfos a formas corpóreas que se ajustam conforme o alvo a ser destruído. Isto permite a ela possuir o poder suficiente para superar o alvo, e garantir a vitória. Caso não seja possível, aos humanos, deter adequadamente uma grande ameaça, ela irá assumir a forma de um fenômeno natural para acabar com a área designada e seus arredores, como o fez, há séculos atrás, a um continente, e que resultou em seu desaparecimento. As suas ações são transcendentes, e assim não podem ser testemunhadas ou percebidas conscientemente por seres humanos. Gaia e Araya possuem suas próprias Contra Forças, são conhecidos como “Bestas de Gaia” e “Feras de Araya”. Eles são fenômenos criados para eliminar fenômenos nocivos, e são chamados de “Realinhador de trilhas”.

Araya

A Contra Força de Araya se origina da vontade de seres humanos que desejam sobreviver, mesmo que isso signifique ter de devorar seu próprio planeta. Muitas vezes ela irá selecionar receptores, “seres humanos normais” que podem funcionar como mediadores para a Contra Força, acabando com o fator de causa da destruição. Estes, muitas vezes, têm sua personalidade alterada, como se estivesse possuídos, mas lhe é dado o poder exato para eliminar o alvo. Há também aqueles que voluntariamente fazem pactos com a Contra Força, tais como Joana d’Arc na era atual, pelo poder e, em troca, realizando a vontade de Araya. Em seguida, são reverenciados como heróis e incorporados no Araya como Contra Guardião após suas mortes. É considerada uma troca, mesmo com a fama e a glória, na qual serão a realizados atos de servidão pela delegação do poder. Os Contra Guardiões, as Bestas de Araya, são forçados a ir além do padrão humano para se tornar heróis, mas após isso serão utilizados por toda a eternidade para remover ameaças. Eles vão defender a humanidade da destruição, e até mesmo os seres humanos e outros heróis serão mortos quando forem a causa da ruína. Araya é uma entidade completamente insensível, e se mostra capaz de atos como eliminar eventos que teriam trazido felicidade a 10 mil pessoas, em algumas ocasiões que lhe sejam convenientes.
Há poucos que podem ser chamados heróis desde o desenvolvimento da civilização, e os fatores capazes de destruir o mundo tornaram-se extremamente freqüentes. A Contra Força está trabalhando constantemente para salvar o mundo da destruição, como parar corporações desmatando a Amazônia que operam em um ritmo que geraria o fim do mundo em um ano, mas sua reação é sempre a uma velocidade em que é impossível para qualquer um perceber ou se preocupar com ela. Geralmente há apenas um herói por geração, e nem mesmo salvar o mundo em si é a ação que faz de alguém em um. O direito de ser chamado de herói, aquele que supera os seres humanos, vem ao realizar uma tarefa impossível, a alteração do destino. Mesmo que eles não tenham o poder de um herói, como alguém que impede um desastre que não poderia ter sido evitado a partir de seus atos, eles são marcados como Espíritos Heróicos. Araya não pode reagir livremente à destruição causada pela natureza ou à Contra Força de Gaia. Mesmo os True Ancestors, que são os inimigos da humanidade, são reconhecidos primariamente como espíritos da natureza. Se um mago tenta tocar Akasha, Araya irá matá-los sem piedade.

Gaia

A Contra Força nascida de Gaia está centrada em torno da sua vontade de sobreviver. Seu principal objetivo é proteger o planeta, por isso irá deixar que os seres humanos vivam desde que o mundo esteja a salvo. Ela não se importa o que lhes aconteca se houver algo os ameaçando. No caso de morte do mundo, como em Notes, ela não irá culpar os seres humanos e, simplesmente, resignar-se ao seu próprio destino, desde que eles também pereçam. Se sobreviverem, terão medo viver em um planeta morto, fazendo um último desejo para receber assistência de outros planetas para exterminar sua própria existência. Gaia fez um acordo com Crimson Moon, a fim de fornecer os True Ancestors como um sistema natural de defesa, a atual Besta de Gaia é conhecida como Primate Murder.

Anúncios

Ações

Information

2 responses

25 01 2012
Silas Tinoco Lopes

é bem similar ao conceito adotado no storyteller (da triade).

a Mãe Gaia. que é o Todo… que é composta por 3 faces, as suas 3 filhas…

Wyrm (entropia: decadência, morte ), Wyld (dinâmica: criação, vida) e Weaver (estática: manutenção, padrão).

25 01 2012
Tom

Sim, o conceito é semelhante.
Apesar sua presença ser mais abstrata no Nasuverse do que no Mundo das Trevas, uma vez que nas obras que vi situadas no Nasuverse não sitadas claramente estes coneitos.
E em MdT esse conceito (não necessariamente as entidades) realmente inflluencia ativamente as crônicas.

Abraços, Tom.

Gostou? Odiou? Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: