O que é RPG?

Sessão de RPG nos moldes orientais

RPG, acrograma de role-playing game, consiste basicamente em um jogo que reúne conceitos de interpretação, improviso, desenvolvimento de enredo e em alguns casos elementos de jogos de tabuleiro, porém se difere de qualquer outro jogo por um único detalhe, em uma sessão de jogo (partida) de RPG não existem ganhadores ou perdedores, isto acontece, pois o foco do jogo não esta na disputa entre os jogadores e sim a cooperação dos mesmos para superar os desafios inseridos nas aventuras.

Mas como funciona o RPG?

Ele é um jogo realizado em várias sessões, sendo que jogos normais duram meses e alguns que agradam de forma especial o grupo pode chegar a durar anos.  Existem diversos tipos de RPG, porém certos conceitos estão presentes em sua maioria, então vamos começar com estas bases (para informações adicionais, os livros do RPG específico trazem as informações necessárias).

Jogadores (2-X)

Jogadores empolgados podem proporcionar momentos fantásticos!

Os jogadores formam a base do jogo, cada um (exceto o narrador, veja abaixo) criará um personagem para representar durante o jogo, se não houver pelo menos dois jogadores (exceto no caso de RPG solo, que será abordado no futuro) não poderá haver uma sessão de jogo de RPG. Conforme mais jogadores, maior será a diversidade do jogo, porém aumenta a dificuldade do narrador para gerenciar o jogo, recomendo para jogos que possuam mais de seis jogadores, que haja mais de um narrador (todos atuando em conjunto) para poder deixar o jogo dinâmico.

Narrador

Narrador, Mestre de Jogo ou Dungeon Master, tratado com diversos nomes em RPGs diferentes, ele raramente tem atribuições diferentes. O narrador é o jogador responsável por pelas aventuras jogadas pelos personagens, ele cria as histórias, descreve as localidades e os acontecimentos, cria e controla todos os personagens que não são dos jogadores e por principal função, tem de zelar pelo divertimento proporcionado pelo jogo tanto para os outros jogadores quanto para si. Esta tarefa requer mais tempo e dedicação em comparação com os jogadores normais, porém para aqueles que gostam de criar e contar histórias pode ser uma experiência extraordinária.

Ambientação

Essa é a principal decisão antes de começar um RPG, o grupo deve se reunir e definir qual vai ser os temas e as características do RPG, como local, época, ponto de vista entre outros tipos de características. Exemplos:

  • Um RPG voltado para o cotidiano escolar japonês, onde os personagens estudantes começam a descobrir que possuem características sobrenaturais – como ver e interagir com fantasmas, telecinese, transformações corporais e etc. – e devem lidar com isso enquanto sobrevivem à vida escolar cheia de altos e baixos.
  • Uma ambientação focada na região mediterrânea medieval onde os personagens tentam ascender na vida para posições de destaque como cavaleiros, nobres, senhores mercantes e etc., e para fazerem isto devem realizar feitos, que sejam nobres, perspicazes ou de sorte, para atingir este objetivo.
  • Ou talvez um mundo diferente, onde os humanos não existem, e sim espécies humanóides com características animalescas, como nações de homens-tigre e tribos nômades de homens-gavião.

A ambientação não define totalmente a aventura, mas tem por objetivo definir o que o grupo está disposto a jogar e com que tipo de tema quer se divertir.

Personagem

Cada jogador normalmente possui um personagem, o qual é criado de acordo com a proposta de ambientação. Eles são idealizados pelos jogadores e, a partir das regras do RPG, construídos para o uso no jogo. O detalhamento do personagem proporciona uma riqueza maior ao jogo, enquanto personagens superficiais aparentam normalmente “cair de para-queda” na história. O desenvolvimento da construção de personagem difere bastante de RPG pra RPG.

Aleatoriedade

Um fator muito presente no RPG, a aleatoriedade é um recurso utilizado para dar um “tempero” ao jogo, criando além de um nível de dificuldade, um método de evitar discussões sobre realização de ações. Ela é aplicada a partir da utilização de acessórios, dentre eles os mais comuns são os dados.

Dados comuns para RPG eles são respectivamente: d4, d6, d8, d10, d12 e d20. Onde o número é a quantidade de lados do dado.

Os dados possuem diversos tipos que podem ser utilizados em diversos jogos, estes são apenas alguns exemplos. Eles são utilizados em “testes” de características presentes no RPG jogado.

Por exemplo: Para perseguir o misterioso gato que roubou seu báculo mágico Mari deve se equilibrar no muro para persegui-lo, e para isso realizará um testes de Agilidade, ela joga o dado, ao ter um porte físico favorável, graças às aulas de educação física, quantidade de números de acerto que ela pode tirar no dado é maior que o normal, e por isso ela acerta um desses números e consegue se equilibrar perfeitamente no muro para começar a perseguição.

Outro método de aleatoriedade menos utilizado são cartas, que podem variar de desde um convencional conjunto de cartas de baralho até um conjunto de cartas específicas para o RPG em questão.

A aleatoriedade deve ser utilizada conforme a necessidade, podendo, em casos de foco na interpretação do personagem, ser totalmente ignorada.

Sistema

Por último, e sempre alvo de discussões acaloradas, o sistema, que é o conjunto de regras selecionadas para o RPG. Há uma vasta gama de opções em termos de sistemas, desde enormes e bonitos sistemas comerciais até simples e objetivos sistemas gratuitos, porém apesar da facilidade de utilização de sistemas prontos, nada impede o grupo de criar seu próprio sistema e que encaixe em seu estilo de jogo.

Exemplos de RPG:

Logo abaixo utilizarei como base o universo de animes e games para retratar um trecho de narrativa.

Exemplo: Anime/Game – Higurashi no Naku Koro ni

Histórico: A personagem Yumiko é interpretada pela jogadora Camila. Yumiko é uma nova moradora do vilarejo Hinamizawa, e durante os primeiros meses sua vida pareceu adaptar perfeitamente ao local, mas tudo mudou após uma discussão com uma senhora em sua pequena loja. Para Yumiko, não passava de um mal entendido e ela não guardou rancor, mas no dia seguinte começou a notar as diferenças, todos começar a olhar de forma estranha pra ela e até mesmo as crianças passaram a evitá-la. Após alguns dias ela começou a ouvir pessoas comentando entre si sobre as grosserias de Yumiko e de ser indigna de morar em Hinamizawa, mas o que a chocou foi ao ouvir que a senhora com quem discutiu era a chefe de uma das três grandes famílias de Hinamizawa, e sua influência alcançava a todos. Após alguns dias é chegado o dia de um festival, a cidade toda está em festa, mas Yumiko sabe que não é só isso, eles provavelmente querem se livrar dela, ela tem que fazer alguma coisa, e parte para a casa da única pessoa em que confia para ela lhe ajudar.

Narrador: “As ruas estavam vazias, porém bem enfeitadas, e belas luzes adornam o leito do rio, lhe oferecendo uma bela vista mesmo de longa distância. Após alguns minutos você chega à residência Kamigawa. O que pretende fazer?”

Yumiko (Camila): “Yumiko esta abalada e temerosa, porém isso a instiga mais a ser discreta, ela suspeita que estejam vigiando a casa de Kazu Kamigawa para sempre saberem sua localização, então Yumiko se esforça para ir discretamente para o muro posterior da mansão e tentar entrar pela porta do jardim dos fundos”

Narrador: “Sua chave entra pela fechadura, você a gira com dificuldade para destrancá-la, ao tentar abrir a porta, porém, você percebe que ela está emperrada pela oxidação, exigindo um teste de força, lembrando que Yumiko possui força física menor que a média, este teste será mais difícil que o normal”.

Yumiko (Camila)<<Joga o dado para o teste>>

Narrador: “Ela se esforçou o máximo possível para abrir a porta, porém dado certo momento, ela percebeu que estava fazendo mais barulhos do que progressos ao tentar abrir a porta – O número obtido não foi o suficiente.”.

Yumiko (Camila): “O que resta é tentar muro. Nos arredores tem algum tipo de objeto visível que possa facilitar minha subida, como uma escada, caixote ou algo do tipo?”.

Narrador: “Não, era um terreno amplamente natural, havendo apenas árvores, pequenas rochas, plantas e um pequeno afluente do rio”.

<<É decidida uma pausa de 30 minutos para conversas em geral e para o lanche.>>

<<Pausa termina.>>

Narrador: “O que vai fazer?”

Yumiko (Camila): “Estava pensando, tem alguma árvore aqui fora que estende algum galho resistente para dentro?”

Narrador: “Talvez exista, mas precisará procurá-lo, faça um teste de Procurar, lembrando que está de noite e a visibilidade está limitada à iluminação vinda da rua fará este teste bem difícil.”

Yumiko (Camila): “Mas Yumiko possui característica perceptiva, isso pode ajudar?”

Narrador: “Sim, por ser perceptiva a dificuldade para ela será reduzida, ainda sendo um pouco mais difícil que o normal, porém sendo muito mais fácil que para pessoas comuns.”

Yumiko (Camila)<<Joga o dado para o teste>>

Narrador: “Você começou a vasculhar aqueles arredores, estava muito escuro, porém conseguiu visualizar de forma pobre, mas eficiente, a forma das árvores, e…”

Narrador: <Yumiko para definir se realmente existia uma árvore nas características desejadas.>>

Narrador: “Na extremidade esquerda dos fundos da propriedade, você observou uma árvore em que se localizava um grosso galho que se aproximava bastante.”

Yumiko (Camila): “Ok, vou subir nela até o muro!”

Narrador: <<O narrador decide que a árvore não é difícil o suficiente para necessitar de um teste para subir nela.>>

Narrador: “Você subiu na árvore, não era difícil, mas era totalmente desconfortável e provocou algumas lacerações leves na sua pele, danos na sua roupa e quebra de suas unhas.”

Yumiko (Camila): “Yumiko não se preocupa com isso agora, ela está desesperada de mais para poder perder tempo com isso, ela irá sem hesitar até o muro.”

Narrador: “Ela seguiu subindo pela árvore até o muro, e conseguiu subir nele. Em cima do muro, mesmo com o desespero e obstinação, ela não deixou de se sentir temerosa pela altura do muro.”

Yumiko (Camila): “Quanto de altura mede o muro?”

Narrador: “Você não consegue medir com precisão, mas é de aproximadamente 3,5m”

Yumiko (Camila): “Vou tentar saltar em uma das árvores do jardim e me segurar nela para tentar descer.”

Narrador: “Faça um teste de agarrar difícil”

Yumiko (Camila)<<Joga o dado para o teste>>

Narrador: “Yumiko não tem dificuldades em saltar em uma das árvores do jardim próximas ao muro, porém não consegue se segurar adequadamente e acaba escorregando pela árvore. Ela não sofreu impacto no chão, porém houve ferimentos profundos infligidos pelo atrito com pequenos galhos, ela esta ferida e com inicio de sangramento.”

Yumiko (Camila): “Yumiko hesita por um instante ao ver seu próprio sangue, mas após poucos minutos tenta recompor-se e caminha cambaleante em direção a porta dos fundos.”

Narrador: “No caminho pelo jardim, você conseguiu restabelecer seu foco, principalmente por causa do silêncio, muito silêncio, e uma sensação forte, a sensação de que esta sendo observada!”

Yumiko (Camila): “Olho em volta me concentrando para procurar alguém!”

Narrador: “Você não vê nada além do próprio jardim, mas tem certeza de que esta sendo visada por uma olhar frio e incansável.”

Yumiko (Camila): “Vou o mais rápido possível para dentro da casa!”

Narrador: “Yumiko avança em direção a porta, quase tropeçando por ignorar seus ferimentos, mas consegue alcançar a porta. O que vai fazer?”

Yumiko (Camila): “Abri a porta e entrei!”

Narrador: “Entrou, e a casa estava escura e em silêncio.”

Yumiko (Camila): “Eles devem estar no festival, vou procurar algo pra tratar brevemente meus ferimentos.”

Narrador: “No banheiro, alguns passos adiante você encontrou um kit de primeiros socorros. Após alguns minutos você tinha conseguido fazer curativos nos priores ferimentos”

Yumiko (Camila): “Vou guardar tudo, e vou ir para a sala para esperar por Kazu”

Narrador: “Você toma um choque ao chegar lá, tudo está totalmente revirado e bagunçado!”

Yumiko (Camila): “Yumiko começa a ficar mais nervosa, e vai olhar outro cômodo da casa”

Narrador: “A mesma situação tudo revirado e quebrado”

Narrador: “Faça um teste de percepção.”

Yumiko (Camila)<<Joga o dado para o teste>>

Narrador: “Você percebe que os objetos realmente pessoais, fotos e lembranças, desses dois cômodos – sala de estar e sala de jantar – desapareceram, entretanto outros objetos de muito valor permaneceram ou foram destruídos, parece que tudo que caracterizava a presença de Kazu nesta casa sumiu!”

Yumiko (Camila): “Yumiko para durante algum tempo, quase que em estado de choque.”

Yumiko (Camila): “Após este tempo ela cria coragem, e começará a checar todas as acomodações da casa”

Narrador: “Em todos os casos exatamente o mesmo, nenhum vestígio de Kazu e tudo fora de seu lugar e muitas coisas danificadas, e no fim você chega à porta do quarto de Kazu”.

Yumiko (Camila): “Yumiko começa, de forma hesitante, a abrir a porta, como se estivesse temerosa do que poderia encontrar, mas continuou até abri-la”

Narrador: “As expectativas de Yumiko não a decepcionaram, a princípio parecia o mesmo cenário, porém ao se aproximar algo atraiu instantaneamente a sua atenção, uma grande mancha vermelha na cama, e sobre esta um objeto que parece ser um porta-retrato.”

Yumiko (Camila): “Yumiko se aproxima da cama, começando a sentir que deveria sair deste lugar o mais breve o possível”

Narrador: “Mas ao observar o porta-retrato, Yumiko cai instantaneamente de joelhos ao ver seu conteúdo, um retrato seu e de Kazu, cortado ao meio de forma a separá-lo, e com um traço vermelho, aparentando ser o mesmo liquido da cama, riscando o pescoço de Kazu.”

Yumiko (Camila): “Yumiko começa a desabar, se abraçando ao porta-retrato, e pensando em como este lugar é maldito, e que deveria fazer todos pagarem”

Narrador: “Você começou a se sentir levemente melhor ao imaginar sua vingança, parecia que tinha encontrado um objetivo, passou horas planejando e quando percebeu estava compulsivamente a arranhar seu próprio pescoço, e nesse momento o silêncio foi quebrado, pelas cigarras que começaram a ‘chorar’…”

Narrador:

Gostou? Odiou? Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: